Agronegócio e Abastecimento | http://abastecimento.jundiai.sp.gov.br
 

Ambiente Alimentar de Jundiaí

A Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo do município de Jundiaí está construindo uma parceria com o Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo com o intuito de tornar o Ambiente Alimentar do município mais saudável. A Faculdade de Saúde Pública (FSP) pode ser considerada, desde sua criação, um dos primeiros centros de Saúde Pública do país e tem como missão a produção e disseminação de conhecimento e formação de profissionais em Saúde Pública e em Nutrição, por meio da pesquisa, ensino e extensão, contribuindo para a melhoria das condições de saúde da população.

Nesta parceria pretende-se desenvolver, executar e avaliar o impacto de uma proposta de intervenção educativa no ambiente alimentar para apoiar a alimentação adequada e saudável na população pautada no Guia Alimentar para a População Brasileira. Dentro desta perspectiva, entende-se o ambiente alimentar como espaços onde as pessoas têm acesso aos alimentos dos mais variados tipos, em especial, os comércios varejistas de alimentos são espaços potenciais para promover a alimentação saudável e disseminar informações sobre alimentação baseadas no Guia Alimentar. Os comércios varejistas de alimentos de Jundiaí são, então, os principais alvos desta parceria. Para combater o avanço da obesidade e de outras doenças relacionadas, como diabetes, pressão alta e diversos tipos de câncer, é necessário – entre outras medidas – que as pessoas consigam com facilidade consumir alimentos saudáveis que vieram direto da natureza (in natura), como frutas, verduras e legumes, ou que foram minimamente processados, como farinha de milho, arroz, feijão, entre outras comidas. Porém, as pesquisas que temos realizado em Jundiaí mostra que o acesso a esses tipos de alimentos não é tão simples quanto parece.

Por meio desta parceria foi possível identificar os estabelecimentos comerciais que comercializam alimentos saudáveis segundo as recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira. Para entender o ambiente alimentar do consumidor do município foi realizada  uma auditoria do ambiente alimentar entre dezembro de 2017 e abril de 2018, coordenada pela pesquisadora e nutricionista Dra. Camila Borges, sob responsabilidade da Prof. Dra. Patricia Constante Jaime e neste processo todos os setores censitários urbanos foram percorridos por pesquisadores treinados que tinham o objetivo de identificar todos os estabelecimentos comerciais utilizados para venda de alimentos ao consumidor e identificar disponibilidade de alimentos, preços, variedade e publicidade nestes comércios.

Neste processo de auditoria, 650 comércios varejistas de alimentos foram auditados em Jundiaí-SP. Com base nos alimentos que eles comercializam tais estabelecimentos foram então classificados em 1. Locais que vendem prioritariamente alimentos in natura e minimamente processados e 2. Locais que vendem alimentos in natura e minimamente processados, ingredientes culinários e alimentos processados e 3. Estabelecimentos mistos (vendem alimentos saudáveis e não saudáveis na mesma proporção). Os estabelecimentos do grupo 1 e 2 podem ser considerados boas opções para a população adquirir alimentos, visto que a venda de alimentos não-saudáveis nestes espaços é menor em proporção à venda dos alimentos saudáveis. Ou seja, são locais facilitadores de escolhas alimentares mais saudáveis. Para saber onde estão localizados abra o mapa abaixo:

Para visualizar a listagem de legendas () referentes aos pontos do mapa, clique no ícone presente no topo esquerdo do mesmo.


NOTA:

Para entender melhor como os comércios varejistas de alimentos em Jundiaí foram classificados, apresentaremos a forma de classificar os alimentos e as recomendações alimentares adotadas pelo Guia Alimentar para a População Brasileira:

  • Alimentos in natura e minimamente processados:  Segundo o Guia devem ser a base da alimentação do Brasileiro. Alimentos in natura: São aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais (como folhas e frutos ou ovos e leite) e adquiridos para consumo sem que tenham sofrido qualquer alteração após deixarem a natureza. Alimentos minimamente processados: São alimentos in natura que, antes de sua aquisição, foram submetidos a alterações mínimas. Ex.: grãos secos, polidos e empacotados ou moídos na forma de farinhas, raízes e tubérculos lavados, cortes de carne resfriados ou congelados e leite pasteurizado
  • Ingredientes culinários: Segundo o Guia devem ser usados com moderação no preparo das refeições. São produtos extraídos de alimentos in natura ou diretamente da natureza e usados pelas pessoas para temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias. Ex: óleos, gorduras, açúcar e sal.
  • Alimentos processados: Segundo o Guia devem ser consumidos com moderação sendo parte de preparações culinárias baseadas em alimentos in natura/minimamente processados. São produtos fabricados pela indústria com a adição de sal ou açúcar ou outras substâncias de uso culinário a um alimento in natura ou minimamente processado. Ex: legumes em conserva, frutas em calda, queijos e pães.
  • Alimentos ultraprocessados: Segundo o Guia devem ser evitados por toda a população. São formulações industriais feitas inteiramente ou majoritariamente de substâncias extraídas de alimentos (óleos, gorduras, açúcar, amido, proteínas), derivadas de constituintes de alimentos (gorduras hidrogenadas, amido modificado) ou sintetizadas em laboratório com base em matérias orgânicas (corantes, aromatizantes, realçadores de sabor e vários tipos de aditivos usados para dotar os produtos de propriedades sensoriais atraentes). Ex: refrigerantes, biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote” e “macarrão instantâneo”.

O quadro abaixo traz alguns exemplos de alimentos que facilitam o entendimento da classificação de alimentos utilizada pelo Guia Alimentar para a População Brasileira.

As figuras abaixo também mostram um esquema de classificação dos alimentos segundo seu grau de processamento:

Fonte: Guia Alimentar para a População Brasileira. 2014. Brasil
Fonte: Guia Alimentar para a População Brasileira. 2014. Brasil

Para saber mais sobre o Guia Alimentar para a População Brasileira baixe a versão gratuita no link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf

            Além disso, outros trabalhos já foram realizados e publicados sobre o ambiente alimentar do município. Veja abaixo os estudos e o link para acessá-los:


ARTIGO: Mapeando as desigualdades socioeconômicas na distribuição do comércio varejista local.

Pesquisadores: Mariana Fernandes Fortes, Dra. Camila Aparecida Borges, Dr. William Cabral de Miranda e Dra Patricia Constante Jaime

Metodologia

960 comércios analisados

Para verificar como está distribuída a oferta de alimentos em um município, pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) mapearam todo o comércio varejista de alimentos do município de Jundiaí e cruzaram essas informações com as características sociais e econômicas da população, como índices de escolaridade, renda média mensal e a quantidade de moradores por domicílio. Foram analisados 960 estabelecimentos, sendo 46,5% pequenos mercados, 16,7% padarias, 4,7% super e hipermercados e 4,8% produção doméstica, agricultura familiar ou direto do produtor.

Conclusão

A falta de variedade de locais que oferecem alimentos in natura ou minimamente processados em bairros periféricos e com baixos indicadores sociais pode prejudicar o acesso a uma alimentação mais saudável para uma grande parcela da população. O mapeamento feito pelos pesquisados pode ser usado como base para políticas públicas que incentivem uma melhor distribuição do comércio de alimentos pelas cidades, reduzindo as desigualdades. Além disso, o estudo pode ajudar a potencializar projetos já existentes que facilitem o acesso dos cidadãos a uma alimentação adequada.


ARTIGO: Urban Food Sources and the Challenges of Food Availability According to the Brazilian Dietary Guidelines Recommendations. [Fontes alimentares urbanas e os desafios da disponibilidade de alimentos de acordo com as recomendações Dietéticas Brasileiras.]

Pesquisadores: Dra. Camila Aparecida Borges, Dr. William Cabral de Miranda e Dra Patricia Constante Jaime

Metodologia

650 comércios analisados.

Para entender como se dá a distribuição dos diferentes tipos de alimentos comercializados no município foi realizada uma auditoria em 650 locais e foi realizado um georreferenciamento para identificar no mapa locais com venda de alimentos mais saudáveis. Todos os itens alimentares disponíveis nos comércios foram identificados e classificados em 1. In natura/minimamente processados, 2. Ingredientes culinários, 3. Alimentos Processados e 4. Alimentos ultraprocessados. A densidade e a proporção de diferentes tipos de comércios varejistas segundo o grupo de alimento que vendem foram calculadas e identificadas no mapa do município.

Conclusão Os supermercados de grande e médio porte e as mercearias vendiam tanto alimentos in natura/minimamente processados quanto alimentos ultraprocessados. Comércios com venda prioritária de alimentos in natura/minimamente processados e que possuíam a seção de frutas e hortaliças na entrada da loja tinham maior disponibilidade de alimentos saudáveis, mas eram em número menor quando comparados a comércios que vendiam prioritariamente alimentos ultraprocessados (não-saudáveis). A maioria dos estabelecimentos possuíam na área dos caixas a presença de alimentos ultraprocessados. Especialmente nas regiões de baixa e média renda do município, a concentração de comércios com venda prioritária de alimentos ultraprocessados supera em 22 vezes os comércios que vendem prioritariamente alimentos saudáveis. Neste caso, este estudo identificou regiões de Jundiaí onde é necessário melhorar o acesso a equipamentos que comercializam alimentos in natura e minimamente processados como prioridade ajudando a população a fazer escolhas alimentares mais saudáveis.

link:https://docs.google.com/viewerng/viewer?url=https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/viewFile/8651966/18736